Notícias

Alterações climáticas o que cada um de nós pode fazer para evitar o problema

Alterações climáticas

No dia 16 de maio, o Agrupamento de Escolas Soares Basto foi anfitrião de uma palestra sobre alterações climáticas, dinamizada pela Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, que contou com a presença da Dra. Alexandra Monteiro, Investigadora do Departamento de Ambiente da Universidade de Aveiro. Esta palestra teve lugar no auditório Bento Carqueja e estiveram presentes cerca de 75 alunos do 7ºano.

A Dra. Alexandra tentou sensibilizar o público mais jovem para a necessidade de modificar comportamentos, com vista a prevenir os efeitos das alterações climáticas. Este problema tem vindo a agravar-se desde o início da Revolução Industrial devido essencialmente a causas antropogénicas.

Quando se fala de alterações climáticas refere-se principalmente o aumento da temperatura global da Terra, consequência da aceleração do efeito de estufa, que se deve ao excesso de emissões de GEE (gases com efeito de estufa) como o dióxido de carbono (CO2), o metano (CH4) e o óxido nitroso (N2O). Estes provêm, em larga medida, da queima de combustíveis fósseis para a produção energética e para a utilização dos transportes. Mas esta mudança climática não se rege só pelas ações do homem, os
processos naturais também podem ter um grande impacto. As erupções vulcânicas e os incêndios florestais sempre contribuíram para o aumento das emissões de GEE.

Para mitigar estas alterações, a investigadora referiu que todos temos um papel importante. Devemos utilizar transportes mais limpos e eficientes, apostar numa construção sustentável, alterar padrões de consumo (reciclar, reutilizar e reduzir), incentivar a reflorestação bem como preservar estes espaços ímpares e estruturais.

Por último, os alunos refletiram sobre o provérbio queniano “Trata bem a Terra. Ela não te foi dada pelos teus pais. Foi-te emprestada pelos teus filhos.” E já mesmo a finalizar, a Dra. Alexandra reforçou a ideia que os jovens devem proteger o seu planeta pois ele é único! Não existe um “Planeta B”!

Texto produzido pelas alunas Margarida Martins e Matilde Silva.